DELÍRIO, POESIA E MORTE: A SOLIDÃO DE ÁLVARES DE AZEVEDO

ESTR0061

Produto Novo

AUTORA: LUCIANA FÁTIMA

Em um surpreendente exercício de alteridade, Luciana Fátima dá voz à trajetória de um dos maiores expoentes do Romantismo brasileiro: Álvares de Azevedo. Poderíamos afirmar que este livro é uma biografia romanceada do jovem poeta, mas isso seria simplificar demais, pois ele é, também, o testemunho humanizante de uma São Paulo em formação. Como afirma Bruno Matangrano, no prefácio, “Luciana captou o espírito dos oitocentos [e da cidade], tomando para si a voz do poeta. De tanto ler as obras de Azevedo e pesquisar sobre ele, tornaram-se amigos.”
 

A trágica lira azevediana ecoa por todas as páginas, pelas quais a autora busca reconstruir os passos, não apenas de Azevedo, mas, também, de outros importantes personagens da cena Romântica que se desenrolava ao redor da Academia de Direito, no século XIX. A vida do poeta pode ter sido curta, mas certamente foi intensa e cheia de aventuras. E agora podemos acompanhar seus passos, desde o nascimento (seria verdade que foi na biblioteca da Academia?) até o precoce e triste fim – que Luciana narra de maneira bela e emocionante.

através da compra deste produto você pode ganhar até 2 pontos de fidelidade. Seu carrinho vai fornecer 2 pontos de fidelidade que podem ser convertidos em um cupom de R$ 1,20.


R$ 27,93

-30%

R$ 39,90

Adicionar à Lista de presentes

Ficha do Produto

Assunto Biografia/Autobiografia
Idioma Português
Mídia Impressa
Formato 16 x 16 cm
Nº de Páginas 232
Capa Normal
Papel Offset Cinza 75g

Comentários

Escrever uma avaliação

DELÍRIO, POESIA E MORTE: A SOLIDÃO DE ÁLVARES DE AZEVEDO

DELÍRIO, POESIA E MORTE: A SOLIDÃO DE ÁLVARES DE AZEVEDO

AUTORA: LUCIANA FÁTIMA

Em um surpreendente exercício de alteridade, Luciana Fátima dá voz à trajetória de um dos maiores expoentes do Romantismo brasileiro: Álvares de Azevedo. Poderíamos afirmar que este livro é uma biografia romanceada do jovem poeta, mas isso seria simplificar demais, pois ele é, também, o testemunho humanizante de uma São Paulo em formação. Como afirma Bruno Matangrano, no prefácio, “Luciana captou o espírito dos oitocentos [e da cidade], tomando para si a voz do poeta. De tanto ler as obras de Azevedo e pesquisar sobre ele, tornaram-se amigos.”
 

A trágica lira azevediana ecoa por todas as páginas, pelas quais a autora busca reconstruir os passos, não apenas de Azevedo, mas, também, de outros importantes personagens da cena Romântica que se desenrolava ao redor da Academia de Direito, no século XIX. A vida do poeta pode ter sido curta, mas certamente foi intensa e cheia de aventuras. E agora podemos acompanhar seus passos, desde o nascimento (seria verdade que foi na biblioteca da Academia?) até o precoce e triste fim – que Luciana narra de maneira bela e emocionante.